terça-feira, 24 de maio de 2016

Nação Hip Hop Interior SP Define Diretoria

No ultimo dia 15 de Maio na Estação Cultura em Campinas – SP foi realizada uma reunião para definir e eleger os coordenadores do Coletivo da Nação Hip Hop Interior SP, hoje composta por representantes de 15 municípios da respectiva região.
Conforme orientação da direção nacional da entidade, bem como dos documentos que rege a organização da entidade e suas diretrizes de atuação, os membros e lideranças presentes deliberaram a seguinte composição de organização e atribuições do referido núcleo Nação Hip Hop Interior;
- Coordenação e Organização Geral: Raisuli Hudson Ferraz da Silva (Salto), Daniel Luis Alves – (Ciro (Campinas)).
- Comunicação: Eliane Silva Pinto (Jundiaí), Sandro Antonio dos Santos Irineu (Mancha (Itapetininga)) e Alessandro Vieira Cordeiro – ( (Itu)).
- Cultura e Eventos: Genildo Teobaldo dos Santos - (Snake (Hortolândia)), Henry Paulino (Campinas), Marco Antonio Dutra da Silva - (Tim (Campinas) e Daniel Alves (Rio Claro), Heverton Barbosa Almeida Silva – (HXP (Tatuí)
- Financias e Projetos: Jesus José Ribeiro da Costa Costa – (Jesus (Hortolândia)) e Antonio Frederico Pereira – (Fred Mlk (Campinas)).
- Ação Política e Institucional: Fabio Viegas Pereira de Proença – (Corvo (Porto Feliz)) e Alex Pereira Bahia (Campinas).

Na oportunidade o Coletivo Solicitou em Documento a Presidência da Entidade, a Inclusão da Companheira Eliane Silva junto a Direção Estadual da Nação Hip Hop, buscando neste sentido cada vez mais a inclusão de participação das nossas importantes guerreiras que são cada vez mais engajadas em nossa luta.

O Coordenador Geral eleito na ocasião o Mano Raisuli Hudson já deixou registrada como data indicativa a próxima reunião do coletivo para o dia 19 de Junho, e aproveita pra convidar a todos a conhecer e participar da Nação Hip Hop Brasil se somando a este importante front de batalha constituído.
Registramos aqui nossas congratulações aos Manos e Minas pelo belo trabalho realizado e desejamos boa sorte a todos nesta importante caminhada em prol do Hip Hop.

Saudações Hip Hoppers!


sábado, 23 de abril de 2016

Mano Brown: “O povo virou as costas pra Dilma. Enquanto a favela faz silêncio, a mídia manipula”.

Em discurso histórico no Rio de Janeiro, o rapper fez críticas ao poder de manipulação da mídia, em especial a rede Globo, que segundo ele, “elege e derruba quem eles querem”. “Vamos chapar de Jornal Nacional? Vamos chapar de Willian Bonner?”. Assista;
Em um discurso histórico, feito durante um show na última quarta-feira (20) no Rio de Janeiro, o rapper Mano Brown, dos Racionais MC’s, afirmou que “fechou um ciclo” em sua vida e em sua carreira depois que viu “a população virar as costas para Dilma”.
“Eu vi a população virar as costas para a Dilma. E eu vi o que é o poder da televisão em um país de terceiro mundo. Onde a televisão elege e derruba quem eles querem. Aí eu falei: já que o povo escolheu isso, que assim seja.
“Em São Paulo, a maioria da população é de preto, e vive em favela, e vive mal, e come mal, vota mal, e assiste programa ruim. Então a gente tá usando todo tipo de droga: cocaína, maconha, balinha, lança-perfume, novela da Globo, Jornal Nacional, todas as drogas possíveis. Vamos chapar? Vamos chapar de novela, de Rede Globo, de Jornal Nacional, vamos chapar de Willian Bonner”, ironizou.

“Enquanto a favela faz silencio, a elite manipula (…) e o carnaval ta chegando hem! Já ta próximo, passa rápido, e vamo fala do quê no ano que vem? Do dia que o povo se omitiu. Do dia em que a favela ficou quieta e deixou eles tomarem o que a favela conquistou?”. completou o rapper paulista.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Celebração Mês do Hip Hop - Região Central SP

Convidamos a todos a participar da importante “Celebração de Encerramento do Mês da Cultura Hip Hop da Região Central SP” no próximo Domingo 03 de Abril. 
O Evento Será Realizado na Praça Costa Manso na Baixada do Glicério e o Palco Nação Hip Hop Brasil irá receber diversos convidados especiais como; Filosofia de Rua, Pivete, Branco, Facção Central, Rivais, D’Origem, Lauren e DJ W, Di Função, MC Gra, Neurus, Tiely Queen, Tribunal Popular, Alquimistas, Pretologia, Klandestinos, Teoria, Ordem Própria, Sharylaine Bakita, Xandão Cruz, Face Negra, Enézimo e os DJ Residentes DJ Naves, DJ MS e DJ Nato PK.
Presença Especial de Leci Brandão.

Participem e Prestigiem!

sexta-feira, 25 de março de 2016

Hip Hop Mineiro em Defesa da Democracia

A Galera do Hip Hop Mineiro, se reúnem nesta na próxima segunda dia 28/03 as 19h00 para discutir juntos algumas ações em defesa da Democracia no Brasil e contra o Golpe ao Governo Federal Legitimamente Eleito em 2014.
A reunião acontece no Sindicato dos Jornalistas, que fica na Av. Álvares Cabral, 400, Centro - Belo Horizonte/MG.
Maiores informações na pagina do evento no Facebook


terça-feira, 22 de março de 2016

Democraticamente falando, Não vai ter Golpe!

Com o apoio da Nação Hip Hop Brasil e da Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop, a TV NAS RUAS, fez um belo registro do Ato do Dia 18 "Democraticamente Falando - Não Vai ter Golpe" o Vídeo traz; Liu MR, Di Função, Toni C, Pretologia, Carina (Pres da UNE) Haddad (Pref SP) e ainda Chico César, DJ DanDan e o Ex Presidente LULA.
Apresentação LUNNA RABETTI.

#NÃOVAITERGOLPE

sexta-feira, 18 de março de 2016

Carta do Hip Hop a Democracia

*clique na imagem para baixar a Carta

Sempre que a Globo, a Veja, a Folha, a polícia e todos esses filhos da ditadura estiverem de um lado. Pode acreditar, nós estaremos do outro lado, do seu lado.
Quando na periferia invadem a casa e sequestram um sindicalista que deu a vida e transformou o seu país, nós o defenderemos.
Quando homens sem caráter, que roubaram durante 500 anos as riquezas da nação e tentam culpar a única mulher presidenta de nossa história, nós não vacilamos, lutaremos e diremos em alto e bom som: É GOLPE!
É justamente em momento difícil como este que a gente sabe quem são os verdadeiros, tá ligado. E se o momento é duro, somos mais duros ainda.
O Hip Hop é irmão da democracia. Nascemos juntos no Brasil. Já pensou um rapper, sem a Democracia? Não dá nem para imaginar. 
Lutamos muito para conquistar o direito de poder dizer o que pensamos em nossas músicas, nos muros, na dança. Tornamos um operário presidente da república e Lula criou os Pontos de Cultura, deu condições aos mais pobres viverem em uma moradia digna, ter diploma universitário e viajar de avião. Se tornou o maior político do século XXI e elegeu sua sucessora: Dilma combateu a força bruta a favor da liberdade e venceu, venceu o câncer e venceu as duas eleições que concorreu. Não será um monte de patifaria e mentiras que irá derrota-la.
O salário mínimo longe do ideal, nunca foi tão alto. Vivemos o pleno emprego e descobrimos o pré-sal. Se não bastasse o país ainda recebeu a Copa e receberá as Olimpíadas. 
Isso tudo é muita afronta. Os poderosos decretaram que essas coisas não são pra nós. Feito pato, uma par foi atrás, no embalo.
Destruíram todos os nossos orgulhos, do futebol à Petrobras.

"Enquanto a Klu Klux Klan bate panela na Paulista" (Rapper Renegado)

Agora querem acabar com você. Isso mesmo, você Democracia, corre um sério risco e nossa cara é denunciar:
É GOLPE!

quinta-feira, 17 de março de 2016

Por a cara no dia 18 - Contra o Golpe e o Extermínio

O Presidente da Nação Hip Hop de São Paulo, 
Bob Controversista, fez uma convocação para os atos em defesa da democracia e contra o golpe no dia 18 de março. Ele também citou o extermínio da juventude negra, vítima da violência policial e do preconceito. “
A cultura Hip Hop está mobilizada nacionalmente.



É importante que pretos e pretas, partidários e apartidários para além de um sistema democrático e participativo, defendam a vida dessa juventude”.


quarta-feira, 16 de março de 2016

Carta da Nação Hip Hop à Democracia

Salve Democracia!

Sempre que a Globo, a Veja, a Folha, a polícia e todos esses filhos da ditadura estiverem de um lado. Pode acreditar, nós estaremos do outro lado, do seu lado.
Quando na periferia invadem a casa e sequestram um sindicalista que deu a vida e transformou o seu país, nós o defenderemos.
Quando homens sem caráter, que roubaram durante 500 anos as riquezas da nação e tentam culpar a única mulher presidenta de nossa história, nós não vacilamos, lutaremos e diremos em alto e bom som: É GOLPE!
É justamente em momento difícil como este que a gente sabe quem são os verdadeiros, tá ligado. E se o momento é duro, somos mais duros ainda.
O Hip-Hop é irmão da democracia. Nascemos juntos no Brasil. Já pensou um rapper, sem a Democracia? Não dá nem para imaginar. 
Lutamos muito para conquistar o direito de poder dizer o que pensamos em nossas músicas, nos muros, na dança.
Tornamos um operário presidente da república e Lula criou os Pontos de Cultura, deu condições aos mais pobres viverem em uma moradia digna, ter diploma universitário e viajar de avião. Se tornou o maior político do século XXI e elegeu sua sucessora: Dilma combateu a força bruta a favor da liberdade e venceu, venceu o câncer e venceu as duas eleições que concorreu. Não será um monte de patifaria e mentiras que irá derrota-la.
O salário mínimo longe do ideal, nunca foi tão alto. Vivemos o pleno emprego e descobrimos o pré-sal. Se não bastasse o país ainda recebeu a Copa e receberá as Olimpíadas. 
Isso tudo é muita afronta. Os poderosos decretaram que essas coisas não são pra nós. Feito pato, uma par foi atrás, no embalo.
Destruíram todos os nossos orgulhos, do futebol à Petrobras.

"Enquanto a Klu Klux Klan bate panela na Paulista" (Renegado)

Agora querem acabar com você. Isso mesmo, você Democracia, corre um sério risco e nossa cara é denunciar:
É GOLPE! 

terça-feira, 15 de março de 2016

1º Encontro da Nação Hip Hop Brasil Interior SP

Por Eliane Silva Pinto

O 1º Encontro da Nação Hip Hop Brasil Interior SP, programado para o próximo dia 20 de março, na cidade de Salto, reunirá todos os elementos do Hip Hop, em uma vasta programação gratuita, durante todo o dia. Promovido pelo Coletivo formado por representantes de diversas cidades do interior do estado de São Paulo, o evento tem como objetivo promover a troca de experiências entre os artistas e fomentar o Hip Hop nesses municípios. Como explica um dos organizadores Raisuli Ferraz da Silva, o encontro foi fruto da união de todos os membros do coletivo. “Essa foi nossa primeira tarefa, promover esse encontro para divulgar o Coletivo e agregar mais pessoas às nossas discussões, e assim fortalecer a Nação Hip Hop no interior”.

O evento começará com o elemento do Hip Hop: o Conhecimento. Às 10 horas uma mesa de abertura com autoridades locais e regionais fará à saudação aos presentes. Em seguida, mesas de debates serão montadas, a primeira abordará o Hip Hop e a Política, com o vereador de Francisco Morato, Anderson 4P e o assessor da deputada estadual Leci Brandão, Beto Almeida. Na segunda mesa, o diretor de cultura de Jundiaí, Jean Camoleze falará sobre projetos e editais para o Hip Hop. Na parte da tarde, o DJ ditará o ritmo para a batalha de Breaking, no palco externo do evento, 32 B.Boys e B.Girls irão competir na modalidade 1vs1. Entre os jurados estarão o B.Boy Brunão, dos Intrusos Crew, DJ Pulga de Campinas e MC B.Boy Lulla de Salto. Simultaneamente no palco oficial, os presentes encontrarão mais um elemento do Hip Hop: o MC. As batalhas de MC´s prometem muita emoção, serão 8 batalhas.

Entre uma batalha e outra, artistas da região se apresentarão em pockets shows, como os grupos Favela Consciente (Jundiaí), Simples Poesia (Capão Bonito), JMI (Porto Feliz), Visel MC (Tatuí) e Fluente (Cerquilho). E a dupla Daniel Garnet & Peqnoh de Piracicaba fechará essa parte do evento, com lançamento do seu primeiro CD “Avise o Mundo”. O Graffiti estará representado por 10 artistas que mostrarão suas artes, em painéis espalhados pelo evento. O Skate, embora não seja um dos elementos do Hip Hop, possui forte ligação com o movimento e é presença garantida no encontro. Durante todo o dia acontecerão Best Trick de Street na modalidade Mirim e Iniciante, as inscrições ocorrem no dia, com premiações aos primeiros colocados.

Ouça essa delação Senhor Moro – Por Toni C.


Imagina a cena!
Eu não tinha mais de nove anos de idade e meu irmão uns oito quando chegamos em casa trazidos por uma viatura. Eu sem saber ler lábios, via pelo para-brisa do camburão Zé Porva dizendo:
Ih! A puliça pegou us fí di Dona Carlota. Esses nunca mi enganaru.
Senhor Juiz, antes de seguir com o meu relato sobre o que aconteceu naquele dia, preciso voltar para o futuro para delatar algumas coisas.
Sempre pensei que chegaria um dia que qualquer favelado teria o mesmo tratamento dispensado a um chefe de Estado. Afinal, todos são manos, todos são humanos, não é mesmo?
Pois acredite, esse dia chegou. Mas veio às avessas, não foi o pobre que virou rei, o morador de rua que ganhou condições dignas, reservada aos maiores líderes. Era o presidente sendo tratado como presidiário.